Espiritos do Luar é baseado nas histórias e lendas das tribos Cherokee, Wappo e Karok. Os nomes são inventados e a história em si é ficcionada.
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Midnight Howl - Cap 23

Acordei com o despertador, como todos os dias mas hoje acordei ligeiramente diferente. Hoje ia-me encontrar com Neela no café ao final da tarde, encontro marcado por ela e estava nervoso e ansioso ao mesmo tempo. Estava ansioso pela razão mais óbvia, tinha saudades dela, de a ver, mas ao mesmo tempo estava nervoso pois não sabia como iria correr. Provavelmente haveria uns momentos mais estranhos e constrangedores mas esperava que no final corresse bem...

Vesti-me, e fui para a cozinha comer umas torradas. Ao contrário do que era costume não estava com muita fome. Comi só uma torrada com uma chávena de café e fiquei satisfeito. Saí de casa e fui trabalhar. Quando cheguei Hank ainda não estava lá, portanto tratei eu de abrir o café. Eu e Hank tínhamos a chave, pois Frank normalmente só chegava por volta das 10h. Entrei e liguei as luzes, os dias agora estavam mais escuros por causa das nuvens e amanhecia mais tarde e escurecia mais cedo... Odiava acordar e ainda estar noite, assim como ser noite ás 17h da tarde, era simplesmente horrível.

Fui buscar a minha camisa e fui ligando a máquina de café, preparando tudo para os habituais clientes madrugadores. Por volta das 8h45 surgiram os primeiros clientes e pouco depois apareceu Hank. Não estava com boa cara... Ele passou por mim sem dizer nada, entrando na cozinha. Fiquei á escuta mas ele não resmungou nem nada do género. Estranho... Passado cinco minutos voltou a sair, voltando a não me dirigir palavra e foi atender os clientes que havia nas mesas.

A manhã foi caótica, houve bastante movimento, não havendo uma pausa em que pudesse falar com Hank. Não estava a entender o seu súbito tratamento de silêncio para comigo, não lhe tinha feito nada. Quer dizer, eu acho que não. Somente depois da hora de almoço, durante o período das 14:30 e das 15:30, houve um momento de pausa. Vi Hank a ir para a cozinha, de certo para ir á casa de banho dos funcionários e segui-o. Fiz sinal ao Frank para ficar atento durante cinco minutos aos clientes, ele acenou, entendendo que eu ia falar com Hank e saiu da cozinha. Entrei no WC e Hank olhou para ver quem era.

- Bem? - disse eu.

- Que foi? - disse ele, num tom azedo.

- Podes dizer-me o que se passa? Não me cumprimentas, finges que não me conheces, mandas-me olhares estranhos... - nomerei. - Porque é que me estás a dar um tratamento silencioso?

- Porquê? Ainda tens a lata de perguntar? - disse ele e eu fiquei confuso. Tinha a certeza que não lhe tinha feito nada, mas que raio...

- Não sei o que queres dizer com isso.

- Não? Andas-te a mentir-me este tempo todo, pensei que éramos amigos. Só a Cameron sabia, meu, pensava que era o teu melhor amigo. - disse ele colocando-se á minha frente.

- Mas do que raio estás tu a falar? - perguntei.

- Tu consegues transformar-te num lobo! - disse ele, elevando um pouco a voz. Arregalei os olhos, tinha sido apanhado completamente de surpresa. Como é que ele sabia?!

- O quê? - disse, um pouco engasgado.

- Ouviste-me bem. Agora percebi o significado da alcunha que a Cameron te dá: peludo? Faz todo o sentido agora.

- Mas...como é que sabes? - disse eu, sem saber como o negar.

- Eu vi-te ontem á noite. Estava a caminho do bar, quando te vi a entrar no parque. Achei estranho e segui-te para ver o que raio ias fazer, normalmente odeias ir ao parque sozinho. Vi tudo.

 

Estava sem palavras. Como é que não tinha dado pela sua presença? Sim estava demasiado preocupado em matar um vampiro e proteger Neela mas devia tê-lo sentido a seguir-me... Fiquei especado a olhar para ele sem saber o que lhe dizer. Nunca me tinha deparado com uma situação igual a esta antes, normalmente era sempre eu a dizer o que era antes das pessoas me verem, não ao contrário! Hank continuou, percebendo que não sabia o que lhe dizer.

- O que me magoou no meio disto tudo é que nem sequer pensas-te em contar-me! Tiveste montes de oportunidades Jake.

- Hank, tens de perceber, ninguém pode saber das minhas...capacidades. - foi a melhor palavra que arranjei. - É segredo.

- Então porque contas-te á Cam?? - perguntou-me chateado.

- Não lhe contei nada, ela descobriu por ela mesma. Ela morava em Forks e quando me viu e sentiu o meu calor e por aí fora, pesquisou e tirou as suas conclusões. - expliquei.

- Mas podias ter-me contado... Sabes que não ia dizer a ninguém. - disse ele, mais calmo.

- Eu sei Hank mas não posso confiar este tipo de informação a ninguém. A Neela quando soube achou-me doido!

- Foi por isso que ela acabou contigo? - perguntou.

- Sim... - respondi, não querendo recordar esse maldito dia.

- Ok... Mas para a próxima não me guardes segredo, sinto-me completamente excluído. - disse-me e eu respirei de alivio.

- Desculpa.

- Não faz mal. Desculpa ter reagido assim.

- Na boa.

 

Sorrimos e demos um abraço. Felizmente tinha ficado tudo bem e prometi-lhe contar-lhe melhor a história entre mim e a Neela quando saíssemos do café. Dito isto, dirigimo-nos para os nossos postos de trabalho e o resto do dia correu normalmente. Chegadas as 17h, fui para dentro deixar a minha camisa no cabide e saí com Hank, contando muito resumidamente o que se tinha passado comigo e com a Neela naquele dia e sobre a noite anterior. Parámos ao lado do meu carro e eu destranquei-o.

- E pronto, agora vou ter com ela. Convidou-me para um café ás 18h.

- Isso é bom, é sinal que está arrependida. - disse Hank.

- Sim eu sei. Só espero que corra tudo bem... - disse.

- Não te preocupes, de certeza que vai correr bem.

 

Despedi-me dele e fui para casa. Tomei um duche rápido, voltei a vestir-me e saí. Tínhamos combinado no café onde costumávamos ir todas as sextas á tarde, na altura em que namorávamos. Quando cheguei lá ela ainda não estava lá, o que era de esperar, afinal ainda faltavam 10 minutos para as 18h. Fui para uma mesa e pedi um chocolate quente enquanto esperava.

Faltavam cerca de dois minutos para as 18h quando ela entrou no café. Lá fora tinha começado a chuviscar e o seu cabelo estava com algumas gotas no cabelo, como se fossem diamantes. Trazia umas calças de ganga justas escuras e uma camisola preta com um decote em V, com um lenço vermelho á volta do pescoço e um casaco por cima. Acenei e ela veio ter comigo. Sentou-se á minha frente, retirando o casaco e o lenço.

Olhei para ela esperando que o seu olhar encontra-se o meu e quando acabou de arrumar o casaco nas costas da cadeira assim foi. Eram como imanes os nossos olhos, não havia maneira de escapar ao olhar um do outro. Sorri ligeiramente, ela ficava engraçada com o cabelo cheio de gotas de água e com as faces rosadas do frio.

- Olá. - disse ela, sorrindo um pouco também.

- Olá. - respondi. - Já pedi o meu, queres igual?

- Chocolate quente certo? - perguntou, olhando para a minha chávena.

- Sim.

- Sim, pode ser.

 

Como ela ficava de costas para o balcão, fiz sinal á empregada para trazer outro igual ao meu, para Neela não ter que se virar para trás. Depois de pedir o chocolate de Neela olhei para ela. Eu sabia que ia haver algum momento com silêncio constrangedor mas pensei que fosse mais tarde. Já estávamos embrenhados num silêncio horrível, sem saber o que dizer um ao outro. Eu não sabia o que lhe dizer, simplesmente esperava que ela começasse mas parecia que ela não sabia por onde devia iniciar a conversa.

- Tinha um discurso inteiro planeado para hoje mas não sei como iniciar. - acabou por dizer.

- Que tal pelo inicio? - sugeri eu, sorrindo para quebrar a tensão.

- Pois bem visto. - disse, rindo-se sem vontade. O chocolate quente veio e ela colocou as mãos contra a caneca para aquecer as mãos. - Jake... lamento muito o modo como agi para contigo. Fui estúpida em não ter acreditado em ti, nem sequer quis ouvir mais nada do que tinhas para explicar. Fui hipócrita, achando-te doido, quando a doida fui eu em ter-te deixado assim. - disse, sempre a olhar para a caneca, concentrando-se no que tinha para me dizer. Tive de a interromper.

- Neela...não foste hipócrita. Eu sei que ia ser difícil dizer-te a verdade e não o tinha dito antes pois não sabia como o fazer. Tinha medo que me deixasses - o seu olhar vacilou. - e não queria assustar-te. Foi por isso que não te contei mais cedo.

- Eu sei... mas a minha atitude não foi correcta. Fugi como uma cobarde, nem tive coragem de te enfrentar no bar. - continuou, sem olhar para mim. Pousei a minha mão na mão dela e ela olhou para mim.

- Não, de facto não foi a melhor atitude que podias ter tido mas foi no mínimo, compreensível. - disse-lhe. - O que me magoou mais foi o teu olhar de desilusão antes de me deixares em La Push. E eu senti-me mal comigo mesmo, senti-me um falhado, nem sequer conseguia contar-te a verdade sem te desiludir... - confessei.

- Jake...desculpa. Eu sei que não serve de muito agora mas...gostava que ao menos pudéssemos ficar amigos. - disse ela.

 

Olhámos um para o outro e apesar de a ideia de só sermos amigos não me agradar, sempre era melhor do que não a ver mais. Estiquei a outra mão e ela pousou a dela na minha. Ainda estava com as mãos frias e fechei as minhas mãos em redor das dela para as aquecer, e poder sentir a suavidade da sua pele mais uma vez.

- Eu também gostava de puder ter a tua amizade de volta. - disse, sorrindo.

Ela sorriu-me de volta e pelo seu olhar percebi que estava radiante de eu não a ter mandado dar uma volta e abraçou-me. Não estava á espera daquele abraço mas o seu toque foi o suficiente para deixar de pensar. Abracei-a de volta, colocando os meus braços em torno da sua cintura, enquanto ela me abraçava o pescoço. Mergulhei a minha cara entre o ombro dela e o pescoço e aproveitei cada segundo daquele momento. O abraço se calhar durou mais do que era suposto mas não me importei.

Ela acabou com o abraço eventualmente e sorrimos.

- É melhor bebermos este chocolate antes que deixe de ser quente. - gracejei e bebemos as nossas canecas.

 

Falámos um pouco, perguntei-lhe como andava a faculdade e ela perguntou-me sobre o trabalho. O silêncio constrangedor tinha desaparecido, apesar de ainda existir alguma tensão entre nós. Era óbvio que ambos queríamos ser mais que amigos mas também queríamos levar as coisas devagar. Ela ainda não me tinha provado exactamente que podia confiar nela, mas o pedido de desculpas foi um passo nessa direcção.

Por volta das 19h saímos do café e a chuva tinha parado, tornando-se antes em neve. Já havia uma pequena camada nos passeios e a temperatura tinha descido. Sentia os meus pêlos do pescoço a eriçar-se com o frio. Tal nunca tinha acontecido desde que era lobo. Viramo-nos um para o outro, para nos despedirmos - mais um momento de estranheza, pois não sabíamos bem como nos despedir.

- Bem, vamos falando? - perguntou-me ela, ansiosamente aguardando a minha resposta.

- Claro que sim. - respondi e o seu olhar brilhou, tal como o meu de certo. - Temos de combinar uma outra saída um dia destes. - sugeri.

- Sim, claro. Quando puder sair, digo-te alguma coisa. - disse.

- Ok, sem pressas. - menti. Estava com bastante pressa para a próxima saída.

- Sem pressas. - sorriu.

Esticou-se como fazia sempre para me dar um beijo e eu baixei-me para lhe facilitar a tarefa. Deu-me um beijo suave na cara e eu dei-lhe um a ela.

- Adeus. - disse-me com o seu sorriso que lhe fazia umas covinhas pequenas nas bochechas, o meu favorito.

- Bye... - disse e ela foi-se embora, para a paragem do metro e eu fui para o meu carro.

 

Guiei até casa e fui para a sala, ficando em calções. Dentro de casa a temperatura estava ideal, portanto podia estar mais á vontade, tomando sempre o cuidado de fechar as persianas para não haver espectadores indesejados. Liguei a TV e quando as noticias começaram lembrei-me que ainda não tinha ligado ao Edward a contar da situação do vampiro.

Tirei o som á TV e liguei para  telemóvel dele. Após 3 toques atendeu.

- Sim?

- Edward, é o Jacob. - disse.

- Ah olá Jacob, então alguma novidade?

- Já tratei do nosso amigo. - disse.

- A sério? E não houve qualquer problema? - perguntou, referindo-se obviamente a espectadores.

- Não, ninguém viu. - respondi.

- Pergunta-lhe se ele se magoou. - ouvi a voz de Bella. Ela preocupa-se com tudo.

- Podes responder-lhe que a falta de confiança nas minhas capacidades continua um pouco ofensiva, mesmo após ser vampira. - disse a Edward e ouvi Bella a dar uma gargalhada. Sorri.

- Pronto, ainda bem que conseguiste tratar do assunto Jacob. - disse Edward.

- E por aí não tem havido nada? - perguntei. O facto de já não patrulhar o território com os meus irmãos ainda me perturbava.

- Não, não temos tido problemas, tem estado tudo bastante calmo. - tranquilizou-me.

- Óptimo. Bem tenho de desligar. Tchau Edward.

- Claro. Tchau Jacob.

 

E desliguei, voltando a colocar o som na TV, concentrando-me nas noticias. Esperava que as coisas se mantivessem calmas tanto por lá, como por cá. Já me chegava os problemas da vida normal, dispensava os da minha vida de fantasia.

 

 

PS: E aqui fica mais um capitulo.

Espero que não tenha sido muito óbvio :S

Que mais aventuras esperam Jacob??

Têm de esperar para ver :D

Bear Hug*

publicado por Suky ♥ às 15:54
link do post | Light Me | favorito
8 Moonlights:
De Filippa a 20 de Outubro de 2010 às 19:08
AMIGOS? Bem ... já que ela foi um pouco otária eu por agora aceito uma simples amizade xP
Beijinhos *


De Suky ♥ a 21 de Outubro de 2010 às 17:24
xD Lamento se te desiludi :)


De Filippa a 21 de Outubro de 2010 às 17:34
Não desiludiste .. Longe disso ;)


De Suky ♥ a 21 de Outubro de 2010 às 17:36
Ainda bem :D
Eu estou a dar corda á Neela porque afinal de contas o Jake tem uma marcação por ela e é-lhe dificil ficar chateado com ela, por isso é que achei que deviam ficar amigos durante uns tempos :)


De nyssa a 22 de Outubro de 2010 às 23:22
terminei agora de ler e gostei ;)
vamos la ver agora o que acontece àqueles dois mas não acredito que fiquem só amigos...


De Suky ♥ a 23 de Outubro de 2010 às 11:02
Brigado :P


De Andrusca ღ a 23 de Novembro de 2010 às 21:06
:|
Não tava nada a á espera que o Hank descobrisse...
Bem, pelo menos o silêncio constrangedor do encontro passou rápido...
Adorei :D


De powergirl19 a 30 de Dezembro de 2010 às 22:08
bem te bue fixe e ela foi msm uma parva em nao ter o deixado akabar de flr kuando estavam em la push mas ta a ser mt fixe ate agr. bom trabalho


Comentar post

Copyrights including the content and design of this blog

.About Me

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Espiritos do Luar - Cap 6

. Espiritos do Luar - Cap 5

. Espiritos do Luar - Cap 4

.arquivos

.links

.Nuvens

estetica em
contador free