Espiritos do Luar é baseado nas histórias e lendas das tribos Cherokee, Wappo e Karok. Os nomes são inventados e a história em si é ficcionada.
Sábado, 16 de Outubro de 2010

Midnight Howl - Cap 20 - 2ª Parte

Paralizei sentindo o cheiro a encher os meus pulmões. Ele estava aqui, ou tinha passado por aqui. De certeza que andava á caça outra vez, tinha de fazer alguma coisa. Não me podia transformar ali, teria de o seguir e quando o visse aí sim tinha que me modificar para a forma de lobo. Não era do meu agrado mas se tinha de ser, não havia nada que pudesse fazer.

Guardei as chaves no bolso e segui o cheiro. Yuck, cheira mesmo mal, uf! O meu nariz estava a matar-me, mas tinha de suportar. O vampiro tinha passado ali á pouco tempo e tinha ido por uma ruela entre os prédios. Segui o cheiro até á rua principal mas acabei por perder o cheiro. Já ia longe de certeza. Fiquei bastante aborrecido por não o ter encontrado mas sabia que agora andava naquela zona da cidade, perto da minha casa, portanto mais cedo ou mais tarde iria encontrá-lo, e dessa vez ele não me ia escapar.

Voltei para casa e fui até á sala. Sabia que teria de o destruir, com estes jovens falar com eles sobre segundas opções não era boa ideia, não me iriam ouvir, para eles sou o inimigo. E também não queria que os Volturi se envolvessem. Já tinhamos tido problemas suficientes com eles e se me apanhassem sozinho era feito em picadinho. Tinha mesmo de ser eu a tratar do assunto... Bah, nem aqui posso descansar!!

Sentei-me no sofá, pensando nas minhas opções. Supondo que o encontro e que o consigo destruir sem ninguém ver, então não haveria problema, poderia continuar em NY sem stresses. Mas se fosse visto, que era o mais provavel, como poderia escapar sem ninguém perceber que afinal o lobo é um homem? Se fugisse para La Push não tinha de me preocupar, mas nunca mais iria ver a Cam, nem o Dean ou o Hank. Nem a Neela... Não, não podia fugir para La Push. Teria de arranjar uma solução qualquer, e depressa.

 

(...)

 

Já era de manhã e ainda não tinha conseguido pensar numa boa solução para o meu problema. O mais inteligente a fazer era matá-lo e depois pensar no que fazer comigo, se fosse visto. Suspirei. Não sabia mesmo o que fazer...

Vesti-me para o trabalho, sempre com a cabeça noutro lugar e passei assim grande parte da manhã. Hank reparou que andava estranho mas não me perguntou nada, deve ter deduzido que tinha a haver com Neela. De tarde estava de folga e pela primeira vez em meses aceitei. Precisava de outro tipo de distracção, precisava de surfar.

Saí do café e dirigi-me á praia. Dean estava lá como sempre, com o resto do grupo de surf. Fui ter com eles e cumprimentei-os.

- Hey Jake.

- Hey. Então já foram a água hoje?

- Não ainda não. Queres vis connosco?

- Claro. Já não surfo á algum tempo, não quero enferrujar. - disse sorrindo.

 

Dean emprestou-me uma das suas pranchas e fomos todos para a água. Passei a tarde toda enfiado na água  e consegui relaxar um pouco. Era bom não pensar no problema com Neela, nem no problema com o vampiro. Parecia que sempre que estava bem no meu canto, alguma coisa vinha sempre para me chatear. Não entendia como era possivel os problemas simplesmente me encontrarem assim!

Os restantes surfistas ao fim de umas duas horas saíram da água por estarem ou cansados ou com frio. Isso não era problema para mim, tinha um nivel de resistência maior e a minha temperatura era uns 7º acima do normal portanto aguentava mais tempo na água. Quando saí, já eram 18h. Fui ter com os outros e devolvi a prancha ao Dean.

- Estavas com vontade hoje. - disse Dean.

- Sim, estava mesmo a precisar disto.  - respondi.

- Estou a ver que sim. Ei logo á noite vamos ao bar. Queres vir?

- Sim, pode ser. Não tenho nada para fazer portanto...

 

E assim ficou combinado. Precisava de aliviar a tensão; algumas pessoas jogam ténis, outras desenham, eu gosto de sair com os amigos para relaxar. Ainda fiquei um bocado com eles mas depois fui para casa, antes que o trânsito aumenta-se. Cheguei a casa e tomei um banho para tirar o sal do corpo. Sequei-me e fui me vestir. Estava a ficar com fome portanto decidi fazer o jantar, apesar de ainda serem 19:30.

Fiz uns bifes de frango com molho de cogumelos e comi em frente á TV. Ainda fiquei a ver uma série da Fox antes e ir arrumar a cozinha, que me ocupou quase uma hora porque decidi lavar tudo á mão. Ideias estranhas, eu sei, mas apeteceu-me! Quando acabei ainda faltava um bocado para ir ter com os rapazes ao bar. Portanto decidi ir dar uma volta para passar o tempo. Visto que moro em frente ao Central Park, decidi ir lá. Não ia ao parque desde que tinha ido para La Push, já iam quase dois meses. Fazia-me lembrar a Neela, da última vez que tinhamos lá estado, e era muito doloroso ir lá. Ainda hoje era mas não queria saber, tinha saudades dos meus passeios noturnos por ali. Embrenhei-me nas árvores e andei sempre para o interior do parque, até já não conseguir ouvir os carros das ruas principais, que rodeiam o parque.

Paz e sossego era tudo o que ouvia. Sentei-me num banco a apreciar a calma daquele local e sorri. Era bom estar ali outra vez, apesar de sentir a ferida do meu coração a começar a arder, com as memórias a vir ao de cima. Mas já não doía tanto como antes, graças a Deus. Podia ouvir os passos e algumas conversas de pessoas que também andavam pelo parque áquela hora, e ouvi um coração a ficar bastante acelerado. Não era o meu obviamente. Achei estranho, conhecia aquele batimento cardiaco... Então aquele cheiro doce chegou-me ao nariz mais uma vez.

Levantei-me num ápice, nem pensei duas vezes e segui o rasto do cheiro. Á medida que me aproximava o cheiro ficava mais forte e o coração que ouvia, ainda mais acelerado. Era óbvio que o dono deste coração estava em perigo, um coração não acelera porque lhe apetece! Então vi o que estava á procura: o vampiro e a sua vitima. Ainda estava embrenhado nas árvores, nenhum deles deu por minha conta. Sendo recém-nascido, era natural que o vampiro não desse pelo meu cheiro, achando-o estranho, como sinal de perigo. Estava demasiado preocupado em saltar para o pescoço da pobre rapariga que tinha á sua frente.

Então o meu coração parou. Olhei para a rapariga e percebi porque conhecia aquele batimento cardíaco: era Neela. A minha princesa, o meu sol, a minha vida estava frente a frente com um sanguessuga nojento, sem qualquer hipótese de se defender. Sabia que o vampiro estava a brincar com ela, senão já a tinha atacado, em vez de  estar especado a olhar para ela, com aquele sorriso maléfico.

Sabia que um ataque surpresa era a minha melhor hipótese de acabar com ele mas só conseguia pensar em proteger Neela. Maldita marcação!! Não aguentei o meu instinto de proteger Neela e saí das árvores, colocando-me entre ela e o vampiro. Fiquei de costas para ela, ligeiramente agachado, pronto para me transformar, mal o vampiro decidisse mexer um músculo que fosse.

Senti o calor a começar a invadir a minha coluna, descendo lentamente até aos pés e os tremores começaram. O vampiro sorriu, achou piada um humano estar assim tão corajoso por o enfrentar. Serrei os punhos, idiota era mesmo novo.

- Jake?? - disse Neela, não entendendo o que estava ali a fazer. A minha vontade era pegar nela e fugir mas não o podia fazer. Tinha a oportunidade de apanhar aquele chupador de sangue e não ia desperdiçá-la.

- Oh por favor, só podes estar a delirar. - disse o vampiro para mim. - Achas mesmo que me podes derrotar humano idiota?

- Infelizmente para ti, não sou como todos os humanos. - respondi-lhe.

- Pois não, cheiras bem pior que essa beldade atrás de ti. - disse ele, olhando para Neela e passando a lingua nos lábios. Os meus tremores intensificaram-se mas mantive-me controlado.

- Eu sei o que tu és. - atirei-lhe á cara, o que o apanhou de surpresa mas ele recompôs-se.

- Então devias saber que não tens hipóteses contra mim.- respondeu. - Mas não faz mal, assim tenho duas refeições numa noite, óptimo. Vou tratar de ti primeiro. Mas não te vou matar logo, não. Apenas deixo-te inválido o suficiente para não me interromperes enquanto sugo o sangue delicioso da tua queridinha. - serrei os dentes, aquele gajo estava a tirar-me do sério. - E adivinha lá, vou-te obrigar a ver, enquanto ela morre lentamente debaixo dos meus dentes. - riu-se.

 

Soltei um rugido, que veio do fundo da minha garganta, tal e qual como os cães fazem e o sorriso desapareceu da sua cara. Eu sorri.

- Que se passa? Já estás com medo é? - disse-lhe.

- Não és humano... - constatou o óbvio.

- Não totalmente.

- Então tenho pena de destruir uma criatura como tu, seja lá o que fores.

 

Agachou-se e atirou-se á minha garganta. Aconteceu tudo em segundos: vi-o a flectir os joelhos e deixei o resto do calor tomar conta do meu corpo e tranformei-me mesmo no momento em que ele estava a chegar ao meu pescoço. Já não tinha hipóteses, já não ia a tempo de travar e apanhei- pelo pescoço antes de ele reagir e separei a sua cabeça do resto do corpo. Tinha sido bastante fácil, ele era totalmente inexperiente.

Cuspi e sua cabeç da minha boca, sabia mal como tudo, era pior que o cheiro, bah! Arrepiei-me com o sabor que tinha ficado na minha boca e então lembrei-me de Neela. Olhei para o lado e vi-a especada a olhar para mim. Não tinha desmaiado, era bom sinal. Tentei decifrar o seu olhar e também não vi medo, mas sim surpresa. Ela desviou o seu olhar para o meu e eu não me mexi, não a queria assustar. Ficou uns minutos a olhar para mim, a pensar no que fazer. Eu andei até ás árvores, precisava de voltar á minha forma normal antes que alguém me visse.

- Não espera, Jake. - ouvi Neela a chamar por mim. Voltei á minha forma humana e regressei para a beira dela, já vestido. No entanto, mais por receio meu, deixei-me ficar na orla das árvores, afastado dela.

- Estás bem? - perguntei. Tinha de ir embora, antes que ela me abrisse as feridas outra vez, mas precisava de saber se ela ficava bem.

- Ahm sim,acho que sim... O que... - apontou para o corpo imóvel do vampiro decapitado.

- Vampiro. - respondi-lhe.

- E tu..?

- Lobo, tal como te tinha dito. - atirei-lhe á cara.

- Mas...como é possivel? São lendas!

- Como pudeste ver, não são só figuras de ficção. - respondi. Já sentia a ferida a começar a abrir, a arder como dantes.

- Não compreendo... - aproximou-se. Fiquei surpreso, o normal seria ela fugir a sete pés.

- Neela, não tenho tempo para te explicar.  - doeu-me tratá-la assim, mas ela magoou-me muito. - Preciso de incendiar o corpo antes que a policia chegue.

- Mas...

 

Passei por ela de isqueiro na mão e incendiei o corpo do vampiro, lançando uma nuvem de fumo preto para o céu. Olhei para trás para Neela.

- Tudo o que te contei era verdade e chamaste-me doido. - disse-lhe. Tinha guardado aquilo durante bastante tempo. - Nem me deixas-te acabar de falar, podia ter-te mostrado. Mas decidis-te deixar-me sozinho, sem uma explicação, foste assim sem mais nem menos e estás mesmo á espera que te aceite assim de volta?

- Mas Jacob...eu amo-te. Sempre te amei, sofri tanto nestes últimos meses, eu ia hoje a tua casa para falar contigo, porque achas que estava aqui? - disse-me ela. As palavras dela baixaram-me as guardas mas as feridas falavam mais alto.

- De qualquer maneira o que me disseste, o que fizeste Neela, doeu-me mais a mim do que a ti. Chamaste-me doido! - ela aproximou-se e eu dei um passo atrás. - Se de facto me queres de volta, agora que sabes que tudo o que te disse era verdade, vais ter de me provar que posso voltar a confiar em ti.

- Como?

- Não sei, mas não te posso aceitar assim sem mais nem menos, por muito que seja essa a minha vontade... - disse. Senti-a aquele nó na garganta, caracteristico quando estamos a forçar-nos a não fazer algo quando é o que nos apetece mais fazer.

- ok, compreendo... -disse ela.

- Nunca te esqueci Neela, mas tens de me provar que me amas e que confias em mim.

 

Aproximei-me e beijei-lhe o topo da cabeça e com muito esforço fui-me embora. Agora ela sabia a verdade, cabia a ela agora provar que confia em mim.

publicado por Suky ♥ às 12:06
link do post | Light Me | favorito
2 Moonlights:
De Filippa a 16 de Outubro de 2010 às 14:15
Ah Jake é mesmo assim pah! A gaja agora que prove que te merece (senão eu posso provar :$ haha xD)
Adoro tanto a tua fic pah :b
Beijinhos *


De Suky ♥ a 16 de Outubro de 2010 às 18:22
Obrigado :)
Espero não desiludir os meus leitores :P
Beijinho


Comentar post

Copyrights including the content and design of this blog

.About Me

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Espiritos do Luar - Cap 6

. Espiritos do Luar - Cap 5

. Espiritos do Luar - Cap 4

.arquivos

.links

.Nuvens

estetica em
contador free