Espiritos do Luar é baseado nas histórias e lendas das tribos Cherokee, Wappo e Karok. Os nomes são inventados e a história em si é ficcionada.
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

Midnight Howl - Cap 15 - 2ª Parte

Durante o dia seguinte levei Neela a visitar La Push. Mostrei-lhe a reserva toda, deixando a praia para último lugar. Lá encontrámos o resto da alcateia, óbvio que alguns estavam de patrulha, Embry, Jared e Quil não estavam lá. E como era costume, estavam de tronco nu, o que impressionou bastante Neela.

- Eles não têm frio? - perguntou-me admirada.

- Eles são como eu, muito quentes.  - expliquei.

- Ah ok. - sorriu, esclarecida.

 

Descemos as dunas e acenei-lhes. Eles estavam sentados nos troncos de árvore que estavam espalhados pela praia  nós fomos ter com eles.

- Então Jake tudo bem? - perguntou-me Leah.

- Tudo e contigo?

- Também. - sorriu. Já tinha saudades dela, apesar de ser uma chata de primeira.

- Sam, há alguma coisa programada para hoje? - perguntei, referindo-me tanto a jantares como a patrulhas. Estava ansioso para me transformar mais uma vez.

- Há uma festa de fogueira logo á noite. - disse-me, olhando de relance para Neela.

- Vocês fazem festas de fogueira? - perguntou a minha princesa.

- Sim, fazemos, cerca de uma vez por mês, ás vezes mais. - disse Paul.

- Isso é tão fixe. Adoro festas de fogueira. Aliás, eu e o Jake conhecemo-nos numa. - disse, sorrindo, enquanto olhava para mim.

- A sério? Que romântico. - gozou Seth.

 

Todos nos rimos mas nenhum de nós os dois levou a mal. Abençoávamos esse dia. Passado uns minutos Seth roubou-me Neela para lhe contar as suas coisas e Leah veio para a minha beira.

- É muito bonita. - disse-me.

- É não é? - suspirei, enquanto olhava para Neela a rir-se com o Seth.

- Estás mesmo no paraíso. A impressão faz-nos isso.

- Pois, já reparei que sim.

- Quando lhe vais contar? - perguntou-me e o sorriso desapareceu da minha cara.

- Ainda não sei. Tenho medo que ela me rejeite quando lhe contar. - confessei, olhando para a areia.

- Pois eu entendo-te. Por isso é que é importante que ela vá á festa de fogueira hoje, assim conhece as lendas a pormenor.

- Sim mas ela é de NY. Não vai ser fácil convencê-la, mesmo sabendo das lendas. - referi, o que era verdade. Fora de La Push, vampiros e lobisomens eram personagens miticas e ficticias.

- Pois eu sei. Mas ela é a tua marcação, não vai rejeitar-te. Há demasiada atracção entre vocês. - disse Leah.

- Vamos ver. Quando me sentir preparado, conto-lhe.

 

(...)

O resto do dia eu e a Neela passamos a passear, com ela sempre a perguntar-me coisas sobre a minha infância e sobre aquele sitio. Ainda falamos da alcateia, para ela perceber melhor como eram eles, do que gostavam, feitios e assim.

Á noite fomos para a festa da fogueira, que era mais uma reunião do conselho mas todos nós lhe chamavamos festa. Neela ia bem agazalhada, enquanto nós iamos com as nossas roupas de Verão, apenas com uma camisola por cima ou mesmo ficando de tshirt. Eu ia com umas calças de ganga, as botas castanhas e uma sweat shirt cinzenta, enquanto Neela ia com calças de ganga, botas de Inverno, uma camisola branca de gola alta e um casaco por cima. A minha presença ao lado del, ajudava-a a não ter tanto frio.

Sentamo-nos num tronco e Neela encostou-se ao meu braço, absorvendo tanto calor quanto podia. Eu sorri e pus um braço á volta dela, ajudando ao aquecimento. Os restantes membros do conselho e da alcateia chegaram pouco depois e deu-se inicio ás histórias. Todos nós estavamos já fartos de saber as lendas mas não nos fartávamos de as ouvir. Quando o avô de Quil ou o meu pai falavam era mágico. Parecia que entrávamos mesmo nesse mundo de séculos atrás, onde lutávamos pelos nossos territórios e caçávamos a nossa comida.

Neela estava maravilhada, observava o Avô Atteara e o meu pai como se fossem monumentos e os seus olhos brilhavam com a história. Estava a gostar, era bom sinal. Tornava a tarefa de lhe contar que de facto as lendas são verdadeiras, mais fácil. Mesmo assim tinha os meus receios, como era natural. Lá porque gosta de uma história, não quer dizer que acredite nela. Era bom...

Depois das histórias ficámos todos na conversa, e como em todas as festas, comida era o que não faltava. Neela já se tinha habituado ao meu apetite anormal mas mesmo assim, não deixava de ficar impressionada com a quantidade de comida que conseguia ingerir. Para uma pessoa normal, ela até tinha um bom apetite mas á minha beira não era nada. Foi motivo de gozo por parte de Paul mas ela não levou a mal.

No final da festa voltámos para casa com o meu pai e ela adormeceu rapidamente. Cobria com os lençóis e fui para a minha "cama", cobrindo-me apenas com um lençol de Verão. Tal como a minha princesa, não demorei muito a adormecer.

 

*

 

Já tinhamos almoçado e o meu pai tinha ido dormir um pouco, pois ainda estava cansado. Eu e a Neela aproveitámos e fomos ter com o resto do pessoal a casa da Sue. Iamos todos dar uma volta por aí, levar Neela a conhecer outros dos nossos locais preferidos. Decidimos ir até ás falésias, mas hoje não estava um bom dia para saltos. No entanto não deixava de ser um sitio bonito, com uma vista de cortar a respiração, mesmo com o céu constantemente nublado. Aliás até lhe dava um ar misterioso, com aquelas nuvens todas, e o sol a espreitar de vez em quando.

Fomos para a nossa falésia preferida, onde a floresta acabava 15 metros antes do fim da falésia. Lá havia várias pedras que serviam de bancos e uma mini clareira onde podiamos jogar basebol ou mesmo andar a fazer wrestling uns com os outros. Eram os nossos passatempos ali quando não estava tempo para saltar. O Paul desafiou-me para uma partida de wrestling. Aquele rapaz nunca aprendia que não tinha hipoteses comigo. Dei um beijo a Neela e lá fui eu. Os outros estavam com as namoradas a conversar e outros a fazer as suas apostas na minha partida com o Paul.

Sam deu o sinal para começar e Paul atirou-se a mim num ápice. Colocou o seu ombro na minha barriga e eu agarrei-lhe a cintura. Andámos ás voltas naquela posição até eu conseguir fazer uma rasteira ao Paul e ele cair de costas. Imediatamente saltei para cima dele, prendendo-lhe o pescoço com o meu joelho e agarrando uma perna com as mãos. Sam declarou o primeiro round em meu favor e Paul ficou furioso. Eu ri-me, adorava vê-lo chateado, tinha mais piada. A nossa disputa ainda durou mais duas rondas até estarmos cansados.

Estava a abraçar o Paul, a dar-lhe os parabéns (nunca me tinha cansado tanto!) quando ouvi o som de pedra a ceder. Olhei para trás para ver de onde vinha o som e vi um vislumbre do cabelo cor de chocolate da minha princesa a desaparecer para lá da falésia. Perdi todo o sangue que havia no meu corpo, o meu coração parou de bater, e não pude acreditar no que tinha acabado de acontecer.

- NÃO!!!

publicado por Suky ♥ às 19:15
link do post | favorito
De Andrusca ღ a 10 de Novembro de 2010 às 21:34
Oh my god! Oh my god! O que é que aconteceu???


Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Copyrights including the content and design of this blog

.About Me

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Espiritos do Luar - Cap 6

. Espiritos do Luar - Cap 5

. Espiritos do Luar - Cap 4

.arquivos

.links

.Nuvens

estetica em
contador free