Espiritos do Luar é baseado nas histórias e lendas das tribos Cherokee, Wappo e Karok. Os nomes são inventados e a história em si é ficcionada.
Terça-feira, 5 de Outubro de 2010

Midnight Howl - Cap 15

- Sam!! - chamei, quando o vi á porta do aeroporto encostado ao seu carro.

- Jake! - sorriu ele, dirigindo-se a nós.

 

Dei-lhe um abraço e vi a Emily a sair do carro e também a fui cumprimentar. Depois voltei para a beira da Neela, que já tinha sentido que estava numa pilha de nervos.

- Esta é a Neela. - apresentei-a.

- Olá. - disse ela, sorrindo envergonhadamente.

- Prazer em conhecer-te. Eu sou o Sam e esta é a Emily, a minha namorada. - apresentou-se Sam.

- Prazer em conhecer-vos também.

- Bem vamos? O teu pai mal pode esperar que chegues a casa.

- Claro, vamos.

 

Entramos no carro, com Sam a guiar, Emily no lugar do pendura e eu e a Neela no banco de trás. Conseguia sentir o seu nervosismo, e agarrava a sua mão, tentando mantê-la calma. Achava piada ela estar assim, mas lá no fundo também estava um pouco nervoso. Era a primeira vez que alguém da alcateia tinha marcado alguém sem ser da reserva, portanto completamente ignorante em relação ás nossas lendas.

Passado uns 20 minutos entramos na reserva e eu comecei a ficar super excitado. Tava ansioso para ver os meus pais e o pessoal todo outra vez. Bolas, estava mesmo com saudades daquilo. Neela sorriu ao ver-me tão contente por estar em casa e também ela começou a apreciar o local. Estava igual, nada tinha mudado. Quando Sam estacionou em frente á minha casa, eu e a Neela saimos e retirámos as malas do carro.

- Hoje á noite o jantar é em casa da Sue ok? - disse Sam, abrindo a janela.

- Ok, lá estaremos. - respondi e lá foi ele.

 

Olhei para Neela e podia ver os seus olhos a brilhar, como se visse algo maravilhoso pela primeira vez.

- Estás bem? - perguntei-lhe.

- É...é tão bonita! - disse, sorrindo abertamente.

- O quê? - estava confuso.

- A tua casa, trengo! - olhou para mim e riu-se da minha lentidão.

- A sério? - observei a minha casa. Achava-a normal, aliás nada de especial.

- Sim, é perfeita. Quem me dera ter crescido numa casa assim. - confessou.

- Ok, acho que estás a delirar, mas obrigado. Anda, vamos entrar.

 

Antes de chegar ao alpendre da casa, já o meu pai estava a abrir a porta, com um sorriso enorme no rosto. Eu pousei as minhas malas e fui ter com ele, dando-lhe um grande abraço. Tinha tantas saudades dele e ainda me sentia mal por o ter deixado sozinho durante quase um ano. Mas agora estava tudo bem, estava de novo em casa, e ia aproveitar todos os segundos lá.

- Jacob, á quanto tempo filho! Estás maior ou é impressão minha? - perguntou-me, enquanto se afastava para me ver melhor.

- Acho que é impressão tua pai. Já cresci o suficiente não achas? - ri-me.

- Tens razão. E essa amavél rapariga quem é? - perguntou-me, olhando além do meu corpo. Andei até á minha princesa e trouxe-a para junto do meu pai.

- Esta é a Neela. - apresentei. - A minha namorada. - terminei com bastante orgulho naquelas palavras.

- Prazer em conhecer-te querida. Estava a ver que nunca te ia conhecer, o Jacob fala bastante de ti.

- A sério? - olhou para mim sorrindo. - Não sabia que era tema de conversa.

- Pois. - disse, embaraçado.- Bem vamos para dentro?

- Sim, entrem entrem, que está frio. - disse o meu pai, abrindo a porta, enquanto eu e a Neela passávamos com as malas.

 

Dirigi-me ao meu quarto e abri a porta. Bolas, não me lembrava do meu quarto ser tão pequeno... Pousei lá as malas da Neela e depois virei-me para ela, que esperava na entrada do quarto. Ela parecia não compreender porque estava a levar as malas para ali.

- Vais dormir aqui. - expliquei, saindo do quarto.

- Mas onde vais dormir tu? - perguntou-me.

- No sofá. - respondi com naturalidade. Não era o melhor sitio para dormir mas era melhor que o chão.

- Mas o sofá é muito pequeno para ti, Jake. Amanhã acordas cheio de dores!

- Estás mais preocupada que eu. Não te vou deixar dormir no sofá Neela. - disse-lhe.

- Mas... - começou ela a protestar mas eu rapidamente a calei com os dedos na sua boca.

- Mas nada, está decidido.

 

Agarrei-lhe a cintura e dei-lhe um leve beijo que a fez perder a linha de raciocinio e não pensar mais no assunto, como era o objectivo. Sorri, porque ela ficava sempre cabeça na lua quando a beijava, tal como eu. Parecia que o resto do mundo simplesmente deixava de existir. Ela rodeou-me o pescoço com os seus braços, tendo de ficar nas pontas dos pés para o conseguir, o que me fez dar uma gargalhada abafada. Ela era de facto um bom pedaço mais baixa que eu mas adorava a sua "pequenês".

- Sabes, por muito que te estiques vais sempre ser mais baixa que eu. - gozei.

- Um dia vou arranjar maneira de ficar mais nivelada. - disse, sorrindo.

- Gostava de ver isso. - ri-me. Eu era cerca de 15 centimetros mais alto que ela, nem de tacões conseguia chegar á minha altura.

- Um dia vais ver.

-Está bem, mas agora vais vestir um belo casaco para irmos para a casa da Sue. Aqui as noites são bastante frias. - avisei-a.

- Vou congelar durante a noite. - disse-me ela, com os seus olhinhos de cachorro.

- Que queres dizer? - perguntei apesar de saber perfeitamente o que ela queria.

- Podias dormir comigo, assim ficava quentinha. - sugeriu, mordendo-me o labio.

- Hum tentador mas acho que não cabiamos os dois na minha cama. - ela olhou para a cama para confirmar.

- Tens razão, mas se os meus dedos dos pés caírem, a culpa é tua.- disse-me espetando um dedo no meu nariz e eu ri-me.

- Ok, ok. - respondi, coçando o nariz. - Vai lá buscar o teu casaco. Espero por ti na entrada.

 

Larguei-a e dirigi-me para a entrada, onde o meu pai esperava por nós. Sentei-me na cadeira de baloiço com ele ao meu lado. Não foi preciso nenhum de nós falar, estavamos contentes por ter a presença um do outro mais uma vez. Tinha mesmo saudades daquilo. Já não sabia qul era a sensação de me transformar, já não o fazia há quase um ano. Ia aproveitar esta semana para matar saudades, sem dúvida. E esperava contar toda a verdade a Neela também, mas primeiro ela teria de ir a uma festa fogueira, para se familiarizar com as lendas.

Passado cerca de 5 minutos, Neela saiu de casa com uma vestimenta diferente. Estava com umas calças de ganga,umas botas de inverno castanhas, por cima das calças e uma camisola quente, com um casaco de lã comprido por cima, também ele castanho. Eu sorri, ela era bastante friorenta e bem, La Push não era propriamente quente!

Ajudei o meu pai a entrar no carro e fomos para casa da Sue. Quando chegámos lá, já estava toda a gente á nossa espera. A alcateia toda e respectivas namoradas. Peguei na mão de Neela e ela apertou a minha, e entrámos. Toda a alcateia veio logo dar-nos as boas vindas e acolheram a Neela como se a conhecessem á montes de tempo.

Pude perceber que nos primeiros instantes ela estava receosa com aquela recepção mas rapidamente se habitou. Deu-se bem com toda a gente, o que já lhe tinha dito que ia acontecer, mas era bom confirmar que estava certo. O jantar todo foi uma brincadeira, a contar as aventuras todas, sempre tendo o cuidado de não mencionarmos as nossas capacidades de transformação.

(...)

No final do jantar, fui com Neela e com a alcateia até ao jardim das traseiras, deixando os adultos do conselho com as suas conversas. Eu fui divertir-me um bocado com os rapazes, deixando a Neela com Leah.

 

Neela

 

Jacob foi jogar basebol com os seus amigos, enquanto eu fiquei com a Leah. Ela pareceu-me bastante simpática, e como eu, não gostava muito de desportos como o basebol. Fomos para uns bancos á beira do alpendre e ficámos a vê-los jogar. Bem na verdade, acho que estávamos atentos aos nossos namorados.

- Então, há quanto tempo namoras com o Jacob? - perguntou-me Leah ao fim de alguns minutos de silêncio.

- Ahm dois meses, mais dia menos dia. - disse, sorrindo.

- Eu namoro com o Liam há coisa de um ano.

- Uau, muito tempo. - disse.

- Sim, mas adoramo-nos, simplesmente não me farto dele. - disse, com um ligeiro brilho nos olhos.

- Ainda bem. Espero que seja assim com o Jake. - desabafei. Leah olhou para mim.

- Já andam com problemas?

- Não, não. - assegurei-lhe. - Aliás, estou cada vez mais caida por ele, mas parece que ele anda a esconder-me alguma coisa, sabes? - não sei porque lhe estava a contar tal coisa, mas acho que me sentia segura a falar com ela.

- Pois, entendo-te, mas tens de lhe dar tempo. Se calhar quer-te contar mas não sabe como. - disse Leah.

- Sim, foi isso que deduzi, por isso ando á espera. - disse, sorrindo.

- Fazes bem.

 

Continuámos a falar sobre rapazes e como eu sentia pelo Jacob e ela pelo Liam, trocámos conselhos e várias outras coisas. Começava a gostar de Leah, era bastante simpática. Mas por volta da meia noite, os rapazes terminaram o jogo e tivemos de ir para casa. Billy precisava de descansar e sinceramente, a lnga viagem de NY para aqui começava a atacar-me. Sentia-me bastante cansada.

Despedimo-nos de todos e fomos para casa. Durante o caminho passei pelas brasas, mal conseguia manter os meus olhos abertos... Jacob ajudou o pai a sair do carro e depois foi comigo até ao quarto, dizer-me onde podia pôr as coisas.

- E pronto, penso que está tudo. - disse, virando-se para mim.

- Obrigado. - disse-lhe, puxando-o para junto de mim pela tshirt e dando-lhe um beijo.

- Hum vou dormir melhor. - gozou.

- Parvo. - ri-me. - Vai lá, dorme bem.

- Tu também princesa.

 

E saiu do quarto. Vesti o meu pijama de Inverno e enfiei-me na cama de Jacob. Aconcheguei-me para não arrefecer e fiquei a observar o quarto dele. Sorri, pois devia ser o quarto mais querido em que tinha estado, tinha tudo e mais alguma coisa. Tinha coisas nativo americanas penduradas, posters, Cd's, fotografias dos amigos e da familia. Era sem duvida o seu canto. Fechei os olhos, sentindo-me previligiada de estar naquele local com a pessoa que mais amava neste mundo.

publicado por Suky ♥ às 21:45
link do post | Light Me | favorito
Copyrights including the content and design of this blog

.About Me

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Espiritos do Luar - Cap 6

. Espiritos do Luar - Cap 5

. Espiritos do Luar - Cap 4

.arquivos

.links

.Nuvens

estetica em
contador free