Espiritos do Luar é baseado nas histórias e lendas das tribos Cherokee, Wappo e Karok. Os nomes são inventados e a história em si é ficcionada.
Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

Midnight Howl - Cap 8

Quando acordei sentia-me a flutuar. Os pesadelos tinham acabado e dormi descansado a noite toda. Fui tomar um duche rápido, sempre com a minha cabeça a pensar na Neela. Decididamente estava eufórico, tinha encontradoa minha razão de viver mais uma vez. Não podia estar melhor!!

Fui ao armário do meu quarto e procurei alguma coisa para vestir. Ia trabalhar portanto não precisava de ir todo XPTO. Peguei nuns jeans escuros e numa tshirt branco sujo e calcei as minhas sapatilhas. Agora que estava em NY a meio ano,já me tinha dado ao luxo de comprar algumas coisas, tanto para a casa como para mim. Uma delas eram as sapatilhas. No entanto do que me orgulhava mais era da decoração que tinha feito à casa. Mrs. Davis gostava muito, mas acho que não fazia bem o estilo dela. Tinha tentado manter o espirito de Forks, portanto era tudo em tons de bege, verdes e alguns pormenores em castanho mas sempre com bom gosto, claro. Não me chama-se eu Jacob Black.

Peguei nas chaves de casa e do carro e lá fui eu para a praia. Outra coisa que tinha adquirido foi um carro. Nada de mais, em segunda mão, mas andava, era o que me interessava. Estacionei no meu lugar e entrei no café. Não havia ninguém ainda, mas não era de admirar, ainda era cedo.

- Bom dia Hank.

- Bom dia Jake. Então a melancolia já te passou? - perguntou.

- Yup. -respondi com um largo sorriso.

- Queres contar?

- Bem aquela rapariga que te disse que tinha ficado um bocado apanhado por ela à seis meses?

- Sim e que eu te disse para andares pa frente.

- Sim essa. Esteve aqui ontem, e ficou com o meu numero. - disse-lhe,com um sorriso victorioso.

- A sério?! Era aquela morena que entrou toda encharcada??

- Yup, essa mesmo.

- Dude!! Ela é tipo...boa como o milho! - disse Hank e eu ri-me.

- Eu sei. «E linda também...»

- Quando me contas-te não me tinhas dito que era a Neela!

- Sabes quem ela é? - agora era eu que estava impressionado.

- Sim conheço. Andou comigo na secundária, todos os rapazes andavam atrás dela.

- Mas ainda te dás com ela? - perguntei.

- Bem, dou-me com o nossos amigos mutuos. Ás vezes encontramo-nos todos e ela também está lá.

- Hum...estou a ver.

- Oh diabo, agora vou ter de te levar comigo não vou? - perguntou Hank.

- Lamento mas acho que sim! - e ri-me.

- Ok,então prepara-te que logo à noite vamos todos fazer uma festa na praia.

 

Fixe! Nem podia acreditar que hoje ia estar com ela. God, não sabia que marcar alguém punha uma pessoa assim, devia ter-me informado melhor para saber o que esperar,mas agora está feito. Os clientes começaram a chegar e eu e Hank pusemos mãos ao trabalho. Iamos alternando entre servir o balcão e as mesas para não ficar aborrecido para nenhum dos dois.

Há hora de almoço, sai, porque Kevin ia substituir as tardes. Ele trabalhava lá em part-time  e eu e o Hank iamos alternando as tardes. Mas ele gostava de estar lá, portanto só se estivesse mesmo cansado e que ficava eu a trabalhar tardes e ele ia para casa.

Entrei no meu VW Polo e fui até ao Central Park ter com a Cameron. Gostava muito de falar com ela, tinha uma mente bastante aberta. E era bastante perspicaz também. Apesar de viver em Forks, a maioria das pessoas nunca deu conta das coisas que se passam lá, e ela deu logo por isso quando viu coisas estranhas a acontecer. Viu, por exemplo um de nós a passar mais perto da estrada do que devia e achou muito estranho os lobos serem tão grandes, então pôs-se a pesquisar e rapidamente encontrou as nossas lendas e percebeu logo tudo. Esperta a miuda.

Encontrei-a sentada no nosso banco de sempre, à beira do lago, com o seu cabelo laranja avermelhado de que eu gostava tanto. Dava-lhe personalidade! Em Forks tinha sido gozada por causa dele e por causa das roupas que vestia mas eu adorava. E ela adorava o facto de eu ser quentinho, tinha-lhe dado jeito no Inverno.

- Hey piolha. - cumprimentei.

- Hey peludo. - cumprimentou de volta, dando-me um beijo na bochecha.

Eu chamava-a piolha por ela ser baixinha e ela chamava-me peludo por ser lobo. Eram alcunhas privadas sem duvida, porque ninguem percebia o porquê de ela me chamar peludo.

- Então muito trabalho hoje?

- Nem por isso. E a universidade? - perguntei. Ela andava a tirar um curso relacionado com musica, mas ja não me lembro bem do nome.

- Uma seca. Os stores hoje estavam insuportaveis.

- Estou a ver que sim. - e ri-me.

- Então tens novidades para mim? - perguntou ela.

- Sim por acaso tenho. O Hank conhece a Neela.

- O quê?!

- Fiquei exactamente como tu.

- Então tens de lhe pedir para ele te dizer onde ela costuma andar, para a encontrares "acidentalmente".

- És muito manhosa mas não é necessário. Hoje eles vão fazer uma festa e ela vai estar lá. O Hank prometeu-me que podia ir.

- Fixe Jake. Mas como é que vais meter conversa com ela? Nós mulheres aborrecemo-nos depressa.

- Pois já me constou mas o Sam e a Emily disseram-me que quando se tem este tipo de atracção por alguém é dificil o outro resistir, mesmo não sabendo que foi de facto marcado.

- Humm então isso é um ponto em teu favor.

- Sim. - sorri.

 

Falamos sobre diversos temas que poderia conversar com a Neela logo à noite e fiquei mais confiante. Esperava não fazer figura de otário... Levei a Cam para a faculdade outra vez para as aulas que tinha de tarde e eu fui para casa, preparar-me mentalmente para a noite que estava a chegar, mais rápido do que desejado. A noite começava a surgir e o meu coração parecia que tinha corrido uma maratona, estava a mil! Estava a ficar nervoso. «Bolas, espero não me engasgar com tanto nervosismo.» - pensei para mim.

Hank mais tarde ligou-me a dizer que era para estar lá por volta das 9h30 e eu conti um pequeno gemido de pânico. Faltava uma hora!!

- Vá Jake, és um lobo ou um rato?! - perguntei a mim mesmo em voz alta e hesitei durante uns momentos. - És um lobo, és um lobo.

Dirigi-me para o quarto para trocar para as minha botas castanhas e fui comer alguma coisa, para acalmar os nervos. Fogo, nunca pensei ficar assim, não era uma sensação normal. Depois de comer sentia-me mais calmo mas ainda um pouco apreensivo. Comecei a pensar nos temas todos que Cam me tinha dito para falar e senti-me melhor. Bastava manter-me dentro do plano das conversas e esperar que o que Sam e Emily tinham dito, fosse verdade.Tornava tudo mais fácil se ela não conseguisse tirar os olhos de mim!

Enquanto saia de casa, rezei para que fosse verdade.

publicado por Suky ♥ às 11:19
link do post | Light Me | favorito
1 Moonlight:
De Andrusca ღ a 2 de Novembro de 2010 às 18:44
A sério, pobre Jake. Seis meses de sofrimento só para descobrir que o Hank conhece a moça! xD
Ui, vamos lá ver no que é que está festa vai dar...


Comentar post

Copyrights including the content and design of this blog

.About Me

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Espiritos do Luar - Cap 6

. Espiritos do Luar - Cap 5

. Espiritos do Luar - Cap 4

.arquivos

.links

.Nuvens

estetica em
contador free